CURTA AGORA MESMO NOSSA PÁGINA

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Inquérito confirma que pai arrancou o lábio do bebê que segue internado no HUT

O inquérito policial confirmou que o próprio pai foi o agressor do bebê de apenas um mês de vida, que perdeu o lábio inferior em razão de mordidas. O caso aconteceu há cerca de três meses em Teresina e desde então o menino está internado em UTI do Hospital de Urgência de Teresina. 

A delegacia de Feminicídio Sul, Anamelka Cadena, é a responsável pelo inquérito e recebeu o laudo da perícia reforçando a autoria do crime. O pai do bebê continua preso. No dia 27 do mês passado, o processo sobre o caso foi encaminhado para a Defensoria Pública. 
“Foram colhidas as modelagens (da mordida do pai e da mãe) pelos peritos e compradas por eles, com as mordidas que foram identificada na criança, e essa modelagem descartou a possibilidade da arcada dentária da mãe e confirmou, mesmo que clarinhas as assinaturas, a mordida do pai na criança, o agressor. Então, com base em todos esse elementos que foram carreados pelo inquérito policial, a gente não teve dúvida das modulações que foram enquadradas, a conduta desse agressor”, explicou a delegada Anamelka, Anamelka, coordenadora da Delegacia da Mulher Sul. 
Na época em que o bebê foi mordido, chegou-se a questionar a omissão da mãe, o que foi descartado pela investigação. “Pela dinâmica dos fatos, a mãe foi quem socorreu a criança, mesmo estando submetida a ameaça. Ela sofreu ameaça, difamação, lesão corporal e ela ainda socorreu a cirança, prestou declarações aqui na delegacia, e a gente também percebeu que ela não tinha a intenção de que aquele resultado fosse alcançado. Baseado nesses resultados todos a gente verificou que não dava para caracterizar como omissão imprópria por parte da mãe!”, informou Anamella. 
Quadro do bebê
Desde que foi internado, o bebê passou por várias cirurgias e depois de ter infecção, o quadro agora é estável. O principal desafio da equipe médica agora, de acordo com o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, é aumentar a abertura da boca, que ficou praticamente destruída pelas mordidas e mesmo depois das cirurgias só é possível que passe uma sonda pelo orifício com a alimentação. 
“Ele foi submetido a várias cirurgias plásticas, e claro, na boca. Então no momento, ele se encontra estável, está aguardando esse último procedimento, que é para abrir um tamanho maior na boca. É a única pendência dele. Estando as condições clínicas adequadas, a gente realiza esse procedimento e ele estará apto a ir para casa e seguir com a conduta ambulatorial de acompanhamento”, explicou o diretor do HUT.
Além disso, novas avaliações continuam sendo realizadas constantemente pelos cirurgiões plásticos. Se o problema estético poderá acarretar problemas e sequelas no futuro, só o tempo poderá dizer. 
“Isso vai depender muito do crescimento dele, o que ele vai apresentar de alteração. Pode ser que seja preciso realizar um novo procedimento, mas só a evolução a longo prazo vai nos dizer”, finalizou Gilberto Albuquerque. 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais visitadas

Final do Campeonato Guadalupe se de Futebol 2018.

Publicado por Francinaldo Publicidades em Domingo, 25 de novembro de 2018

Formatura dos Doutores do ABC da escola Alexandrino Mousinho.

Publicado por Francinaldo Publicidades em Domingo, 16 de dezembro de 2018

CONTATOS

CONTATOS