domingo, 2 de setembro de 2018

Papa Francisco manda bênção a Lula escrita em livro


SÃO PAULO, SP, CURITIBA, PR, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Por meio do ex-ministro da Defesa e Relações Exteriores Celso Amorim, o papa Francisco escreveu uma mensagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em que abençoa o petista.

Amorim foi recebido pelo pontífice nesta quinta (2). Ele estava acompanhado do ex-ministro argentino Alberto Fernández e do ex-ministro chileno Carlos Ominami. O encontro, fora da agenda oficial do papa, ocorreu em sua residência, a Casa Santa Marta.
Procurados, os porta-vozes do Vaticano afirmaram que não comentam encontros pessoais de Francisco.
"A Luiz Inácio Lula da Silva com a minha bênção, pedindo-lhe para orar por mim, Francisco", lê-se no texto, escrito sobre a folha de rosto de um livro. Amorim diz que o próprio papa o ajudou a decifrar sua caligrafia.
A assessoria do PT divulgou fotos do encontro na página do ex-presidente. Segundo Amorim, o encontro durou cerca de uma hora e o assunto prioritário foi a situação política e jurídica de Lula, da América do Sul e do Brasil.
"O papa recebeu um exemplar em italiano do livro 'A Verdade Vencerá', de Lula, e enviou uma mensagem espiritual ao ex-presidente. Francisco disse que continuará acompanhando com interesse a situação do Brasil", relata a página do partido.
A mensagem chegou às mãos de Lula, preso desde abril na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.
Também nesta quinta, Lula recebeu a visita de Chico Buarque e Martinho da Vila. Os músicos não falaram com os jornalistas que os aguardavam do lado de fora do prédio.
Ainda assim, em vídeo gravado pela assessoria do petista, os artistas defenderam que a imprensa deve insistir em entrevistar o ex-presidente. "Acho que o correto seria a imprensa poder falar diretamente com ele, em vez de ficar de porta voz, moço de recados", disse Chico Buarque.
O cantor argumentou que a entrevista com Lula é de interesse dos "donos dos grandes jornais" e do público. "Tem que insistir com isso", completou Martinho da Vila.
No mês passado, a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena, negou pedidos de veículos de comunicação, como a Folha de S.Paulo e o UOL, para entrevistar o petista.
No sábado (28), Chico foi uma das atrações do festival em apoio a Lula na praça ao lado dos Arcos da Lapa, no Rio.
Apesar de ter sido divulgado que 80 mil pessoas participaram do ato, há divergências da própria organização sobre o tamanho do público. A produção estimou em até 20 mil pessoas, e os responsáveis pelo palco, em 80 mil.
O festival que teve músicos como Gilberto Gil, Chico César e Beth Carvalho, além de Chico, foi organizado por membros da classe artística como o cineasta Marcelo Laffite e o diretor de teatro Luiz Fernando Lobo.



Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja mais