quinta-feira, 6 de setembro de 2018

URGENTE: Bolsonaro é esfaqueado em Juiz de Fora

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi vítima de um atentado na tarde desta quinta-feira (6/9), em Juiz de Fora (MG). Bolsonaro fazia campanha no centro da cidade quando recebeu uma facada na barriga. Ele estava nos ombros de um eleitor quando um homem lhe desferiu o golpe. Diversos vídeos circulam nas redes sociais e mostram o momento do ataque. O deputado foi socorrido imediatamente. 
 
Bolsonaro foi levado à Santa Casa da Misericórdia onde deu entrada pela emergência. Segundo o filho da vítima, o também deputado Flávio Bolsonaro, o pai levou seis pontos e passa bem. Porém, há informações de que o ferimento de Bolsonaro foi um pouco mais profundo e que chegou a atingir o seu fígado. Até a última atualização desta reportagem o presidenciável passava por cirurgia. 
 
O agressor foi identificado como Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos. Natural de Montes Claros, também em Minas Gerais. Ele já foi preso pela Polícia Federal, após ser linchado por populares, assim que cometeu o atentado contra o candidato. 
"Jair Bolsonaro sofreu um atentado agora em Juiz de Fora, uma estocada com faca na região do abdômen. Graças a Deus, foi apenas superficial e ele passa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós!", escreveu Flávio Bolsonaro no Twitter. 
 
Em entrevista à Globo News, um dos filhos de Jair Bolsonaro, Flavio Bolsonaro, afirmou que o ferimento foi superficial e que o pai não estava usando colete de proteção durante o comício, como de costume. Segundo Flávio, a Polícia Federal reconhece a “necessidade de maior atenção” na proteção nos comícios realizados por Bolsonaro.

Flávio afirmou, ainda, que o caso indica que o pai “está no caminho certo”. “Esse tipo de atentado só fortalece a nossa caminhada, e serve para nós redobrarmos a atenção”, completou. Ele também chegou a dizer que foi a “mão de Deus” que impediu que facada causasse maiores danos. 

Antes do ataque, tumultos, tensão e bate-boca marcaram a visita do presidenciável ao hospital filantrópico da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer (ASCOMCER) e também um almoço com o candidato em um hotel em Juiz de Fora, Minas Gerais, nesta quinta-feira, 6.

Pacientes idosos em tratamento contra a doença tiveram dificuldade para entrar na unidade, devido a um cordão de isolamento feito por integrantes de um movimento conservador da cidade. Vestidos de preto, eles se diziam policiais e afirmavam fazer "segurança voluntária" do candidato. 
Segundo a Polícia Federal, não é obrigatório que os candidatos políticos tenha segurança, porém, é "recomendável". A corporação confirmou ao Correio que o candidato solicitou o acompanhamento de agentes para a passeata, mas a entidade não soube confirmar se a equipe estava acompanhado ou não o presidenciável. 

Uma multidão se concentra na frente do hospital onde Bolsonaro está sendo atendido. Apoiadores de Bolsonaro e grupos adversários ao candidato já começam a se confrontar em frente à unidade de saúde. A Polícia Militar foi chamada para controlar a confusão.

Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja mais