Somente as postagens sem fonte, são de responsabilidade do Francinaldo Publicidades. Os demais, com citação de fonte ou com informações de terceiros, não representam necessariamente a opinião ou posicionamento desta editoria e são de responsabilidades de seus autores.

CURTA AGORA MESMO NOSSA PÁGINA

segunda-feira, 4 de março de 2019

Saiba o que fazer quando vir uma mulher com seios de fora no Carnaval

Por Lia Bock 
É bem provável que neste carnaval você dê de cara com mulheres de seios de fora. Um misto de empoderamento, ousadia, liberdade e desobediência civil. As minas não estão pra brincadeira.

Ou melhor, estão sim, do jeitinho que elas querem. Mas nunca é demais avisar que nudez não é convite. O papinho de que foi assediada porque estava com tal roupa ou sem roupa datou. Cada uma veste o que quiser e beija quem quiser, se quiser. Isso está na cartilha básica martelada há alguns anos.
Tá, mas voltando ao manual de sobrevivência do nu: você está lá, carnavalizando e de repente vem aquela moça sem blusa. O que você faz? Na verdade o melhor é dizer o que você não faz. Você não agarra, nem encosta nela em hipótese alguma. Pense que uma mulher nua é tipo uma santa, precisa respeitar de longe, reverenciar apenas. Você também não grita nada pra ela, nem elogio e nem crítica. Silêncio, neste caso, é respeito e respeito é o que elas estão buscando. Dá pra entender? Os peitos estão de fora para lutar por igualdade, não por sacanagem.
Se aproximar e pedir pra tirar uma foto é controverso. Com respeito e humildade você pode pedir e ver se ela deixa, mas jamais tire foto sem ela autorizar. Aliás, isso vale pra qualquer pessoa, né? Sair fotografando os outros sem avisar é péssimo. Não dê uma de inocente, sabemos bem que essas fotos vão parar nos grupos de zap e daí pro mundo é um pulo. Não é porque a moça está de peito em riste que quer virar meme. Entender isso te joga lá na frente no tabuleiro do respeito e da ética.
Chamar os amigos e criar um roda em volta dela, jamais! Isso equivale a um coelhinho no meio de um roda de hienas babonas. É apavorante e não tem graça nenhuma. Se imagine no meio de uma roda de lutadores de jiu-jitsu bêbados. Pois então.
Se você chegou até aqui e ainda está se perguntando, "mas se não pode nada, então por que ela está de peito de fora?", sugiro que nem saia na rua neste carnaval. Mas vou tentar mais um pouco: ela está de seios de fora porque ela quer, assim como há vários marmanjos desfilando sem camisa nos blocos. Ela está de peito de fora para brigar por direitos iguais e isso envolve não ser importunada. A busca é exatamente essa, estar assim e nada acontecer. A busca é normalizar a nudez, essa coisa que acompanha todos nós, sempre, a vida inteira e (como pode?) ainda causa tanto espanto quando exposta. 
Daí alguém vai dizer: "mas se ela está sem blusa é porque quer chamar atenção". Sim! E pode olhar, porque é pra isso mesmo. Pra admirar, pra idolatrar, contemplar. Aproveita e repara também que as mulheres trans são mesmo mulheres. Deslumbre-se com as bichas e leve essa aura de alegria e liberdade pra casa. Porque não é só você que gosta de carnavalizar tranquilamente, do seu jeito, sem ninguém te importunando.

Fonte: Meio Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARTICIPEM DO TERÇO DOS HOMENS

PARTICIPEM DO TERÇO DOS HOMENS

LEVE ESTE SHOW PARA SUA CASA

LEVE ESTE SHOW PARA SUA CASA

Missa celebrada pelo Padre Gilvan Dias Igreja Matriz Nossa Senhora de Guadalupe. Em 04/08/2019.

Publicado por Francinaldo Publicidades em Domingo, 4 de agosto de 2019
Casamento comunitário em Guadalupe.

#FRANCINALDOPUBLICIDADES Em cerimônia realizada no início da noite desta quarta-feira 17 de Julho, no Clube Municipal Mandacaru, em Guadalupe, 32 casais oficializaram a união.

Publicado por Francinaldo Publicidades em Quarta-feira, 17 de julho de 2019

CONTATOS

CONTATOS