MASIGNCLEAN101

18 profissionais de enfermagem já foram infectados pelo coronavírus no Piauí


Na linha de frente do combate ao novo coronavírus, os profissionais de Enfermagem estão diretamente em contato com pacientes infectados. Diante deste cenário de pandemia, com Equipamentos de Proteção Individual (EPI) escassos e falta de treinamento para o correto uso destes equipamentos e fluxo de atendimento, estes profissionais estão mais sujeitos à contaminação.

No Piauí, 18 profissionais de Enfermagem foram infectados e há outros 34 casos suspeitos, segundo o levantamento do Cofen, com o apoio do Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI).
Segundo dados divulgados pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), já são mais de 4 mil casos suspeitos de contaminação pela Covid-19 entre os profissionais de Enfermagem no Brasil. Outros profissionais receberam o diagnóstico positivo para o vírus e estão em quarentena.
De acordo com a presidente do Coren-PI, Tatiana Melo, durante a realização de diversas fiscalizações em estabelecimentos de saúde públicos e privados de Teresina, Miguel Alves, Parnaíba, Picos, Floriano e São Raimundo Nonato, foi possível constatar que, além do estoque baixo de Equipamentos de Proteção Individual, falta capacitação e treinamento dos profissionais de Enfermagem em relação ao uso adequados destes EPIs e ao fluxo de atendimento nestas unidades de saúde.
Pacientes com suspeita de contaminação pela Covid-19 devem passar por uma triagem para verificar a existência de sintomas respiratórios. Além disso, os estabelecimentos de saúde precisam oferecer fluxo exclusivo para estes pacientes. Estes espaços precisam estar sinalizados de forma clara para que profissionais de saúde e pacientes saibam por onde devem circular. A maioria das instituições não possuem este fluxo de atendimento bem definido”, explica Tatiana Melo.
A presidente do Coren-PI também alerta ainda que, se o número de pacientes diagnósticos com a Covid-19 aumentar rapidamente, não haverá profissionais de Enfermagem capacitados suficientes para prestar assistência. “É fundamental que a população também faça a sua parte, respeitando as medidas de isolamento social e de higiene. Dessa forma, poderemos controlar o avanço do vírus no nosso Estado e oferecer toda assistência necessária à população”, conclui. 
Com informações do 180GRAUS

Veja Mais

Fique em casa, nós levamos as notícias até você...