Guadalupe está entre os 50 municípios com maior taxa de transmissão do novo coronavírus

50 municípios piauienses, que apresentam uma maior taxa de transmissibilidade do novo coronavírus, vão receber um maior monitoramento da Sec...

MASIGNCLEAN101

Pente-fino pode suspender auxílio emergencial de alguns aprovados; saiba mais

A mensagem de "aprovado" que apareceu em muitas solicitações do auxílio emergencial não garante que o beneficiário receba todas as parcelas do valor. Um exemplo disso é o que ocorreu entre o pagamento da primeira e segunda parcelas. Cerca de 600 mil brasileiros deixaram de receber o benefício.
Isso acontece por conta de uma espécie de reanálise que acontece entre uma parcela e outra. Ou seja, beneficiários do Auxílio Emergencial podem não receber mais o pagamento das prorrogações, dependendo da sua situação atual.
De acordo com o Jornal Contábil, a reavaliação dos aprovados serve para verificar se eles continuam tendo os requisitos necessários para recebimento.
Veja quais são os motivos que podem excluir você da próxima parcela: Contratação no período: o usuário conseguiu um emprego formal durante o intervalo de tempo de recebimento do auxílio. A regra também se aplica a membros, caso faça a renda familiar subir para além do estabelecido;
Recebimento de seguro-desemprego: os beneficiários que começaram a receber o seguro-desemprego depois da aprovação do cadastro, não podem acumular os benefícios; Recebimento de benefícios previdenciários: caso o usuário comece a receber aposentadoria, pensão, auxílio-doença ou suporte de  programas de transferência de renda do governo (com exceção do Bolsa Família). Essa regra também inclui membros da família; Aumento da renda familiar: se, por qualquer outro motivo, a renda mensal por membro da família ultrapassar meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até R$ 3.135; INSS: fez contribuição individual ao INSS sobre um valor superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,50; Recebimento de prestação de serviços: empresa para a qual o beneficiário presta serviço realizou pagamento  superior a R$ 3.135 ou que indique renda por pessoa acima de R$ 522,00.
A atualização dos dados também pode ser feita de forma automática na base de dados do Ministério da Cidadania, o que pode acarretar na suspensão do pagamento. Mas, segundo a pasta, após confirmada a elegibilidade do CPF, o pagamento é liberado.
Fraude no preenchimento; Ser empregado com carteira assinada; Estar recebendo seguro-desemprego; Aposentado do INSS; Pensionista do INSS; Receber demais benefícios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC); Auxílio Doença; Garantia Safra; Seguro Defeso; Ser de família com renda mensal por pessoa superior a meio salário mínimo (R$ 522,50); Renda familiar mensal total maior que três salários mínimos (R$ 3.135); Limite maior que duas pessoas que recebem Bolsa Família na mesma família; CPF irregular.
Fonte: Fala Piauí

Missa da Páscoa do Senhor. Direto da Igreja Matriz Nossa Senhora de Guadalupe - 04/04/2021

Postagens mais visitadas