Francinaldo Publicidades - Guadalupe

O Flamengo precisou de apenas alguns minutos no 1º tempo para resolver o jogo contra o Athletico-PR e se sagrar tricampeão da Copa Libertadores, na tarde deste sábado (29/10), no Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guyaquil, no Equador, após vitória por 1 x 0. Após um começo de jogo truncado, no qual o Furacão até conseguiu criar as melhores oportunidades, todo o plano de Luiz Felipe Scolari veio abaixo após a expulsão boba de Pedro Henrique, que levou dois amarelos em 16 minutos. 



O gol Rubro-Negro foi marcado por Gabigol, logo após a expulsão de Pedro Henrique. Com o tento, o camisa 9 do Flamengo se tornou o maior artilheiro brasileiro em Libertadores, igualando a marca de Luizão, com 29 gols. Além disso, ele chega a 12 gols marcados em 13 finais disputadas.

O jogo

Nos primeiros minutos do duelo, nenhuma equipe realmente conseguiu impor seu estilo de jogo. O Flamengo, apesar de ter mais posse, não encontrava as linhas de passe, bem fechadas pelo Furacão, e apostava em bolas longas e infrutíferas. Dessa forma, pressionando, o Athletico-PR criou as melhores oportunidades da partida. Em uma delas, após um escanteio, Alex Santana dominou praticamente na pequena área e acertou um voleio, por cima do travessão.

Aos 19, o Flamengo sofreu um duro golpe. A exemplo do que aconteceu na final passada da Libertadores, em Montevidéu, contra o Palmeiras, Filipe Luís sentiu novamente e não teve condições de continuar, dando lugar a Ayrton Lucas. Em termos de jogo, o duelo continuou truncado.

O jogo que estava morno, ganhou um pouco de emoção aos 42 minutos. Pedro Henrique acertou um carrinho em Ayrton Lucas e recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso.

Com um a menos em campo, o Athletico-PR não demorou a se mostrar vulnerável e, aos 48, após cruzamento certeiro de Éverton Ribeiro, Gabigol marcou e abriu o placar no Estádio Monumental.

2º tempo

Como era de se esperar, o Flamengo, com um a mais, passou a ter mais volume de jogo e tocar a bola mais próximo da área adversária. O Athletico-PR pouco ofereceu de resistência, se mantendo acuado em seu próprio campo.

Em uma das raras oportunidades em que o Athletico-PR conseguia recuperar a bola e chegar ao ataque, Terans chutou da lateral e Cannobio caiu após disputa com Airton Lucas, reclamando de possível pênalti.

Nos minutos finais, o Furacão tentou uma blitz contra o Rubro-Negro, que recuou mais as suas linhas. As tentativas da equipe de Felipão, no entanto, se resumiram a bolas jogadas na área.

 

FONTE: METROPOLES

Post a Comment

Grupo Ramos

Francinaldo Publicidades - Guadalupe

PUBLICIDADES

Francinaldo Publicidades - Guadalupe
Francinaldo Publicidades - Guadalupe